Traducir Sitio Web

Últimas publicaciones

Traductor

Na 21ª edição do BobbaWars PT/BR, entrevistamos os embaixadores ,Jackee e wilvpMas antes, vale destacar um pouco sobre os convidados desta edição!

A seguir, você verá na integra a entrevista que realizamos através do Habbo Hotel no dia 20/02/2022, às 17h BR/20h PT. Esperamos que você goste! Deixe o seu comentário, mande a sua ideia e compartilhe no Twitter marcando @BobbaWars.

Entrevista

1- O que e qual é objetivo do Dia da Internet Segura?

JACKEO Dia da Internet Segura e também conhecido como SID (Safer Internet Day) é uma iniciativa promovida anualmente a respeito do uso ético e seguro da internet e outras tecnologias por meio da disseminação de informações, recursos e orientações de boas práticas na hora de navegar.

O objetivo é a promoção de atividades de conscientização que promovam o uso responsável e seguro das novas tecnologias de informação, especificamente para crianças e adolescentes.

2- Como o Habbo entra neste contexto e se relaciona com esta campanha?

JACKE: O habbo por ser um jogo on-line voltado para o público a partir de 13 anos é fundamental a conscientização em torno do uso da internet para garantir a segurança e reduzir os riscos decorrentes de comportamentos perigosos ou abusivos.

3- Qual o papel da Sulake e da comunidade neste contexto?

JACKE: A Sulake tem um papel fundamental de garantir a segurança e o bem estar de seus consumidores, orientam e conscientizam sobre os perigos da internet, para a proteção dos usuários. A comunidade tem um papel fundamental também, que é de se proteger e ajudar a todos, cobrando sempre melhorias e mais segurança para que os quartos sejam lugares agradáveis e seguros para todos se divertirem.

4- O que o Habbo e o embaixadores fazem para apoiar e tornar real o tema do SID 2022: "Juntos por uma internet melhor"?

JACKE: O Habbo para divulgar a importância de se proteger dos perigos da internet traz esses tipos de atividades e jogos todos os anos, para conscientizar e ensinar os usuários.

Nós, como embaixadores, tentamos alertar e ajudar as pessoas sobre esses perigos que estão na internet. Como por exemplo, sempre falamos sobre os golpes que tentam aplicar com os usuários prometendo moedas grátis, roubos de conta, etc. Estamos sempre promovendo jogos educativos sobre os temas mais importantes e atividades relacionadas a segurança como o Infobus, apesar de não temos muitos recursos, tentamos fazer o máximo que é permitido e dá em relação ao Habbo Etiqueta.

5- Como podemos colaborar de forma efetiva para uma comunidade mais segura para todos nós?

JACKE: Acredito que nossa colaboração enquanto jogadores é sempre que poder conscientizar as pessoas, estar disposto a ajudar a todos, denunciar quando ver usuários maliciosos tentando prejudicar outros ou promovendo discurso de ódio, racismo, homofobia ou outros tipos de discriminação e sempre procurando se proteger, juntos somos mais fortes.


6- 
Quais são os maiores problemas, enquanto embaixadora, no cotidiano de nossa comunidade e como podemos ajudar para resolver ele?

WIL: Atualmente, um dos maiores problemas é o uso de múltiplas contas conhecidas como "bots", para intimidação em massa, muitas das vezes essas contas conseguem entrar e sair do quarto rapidamente dificultando a aplicação de alguma punição sobre elas, pela facilidade de se criar uma nova conta, uma das formas de amenizar essa situação seria aplicando novas formas de bloqueios, por exemplo, na criação de novas contas na mesma máquina/computador da conta punida, além desse problema há outro que vemos com muita frequência, casos de salas privadas contendo falas ou nome inapropriados, normalmente a comunidade costuma procurar os embaixadores em busca de uma solução, porém, não podemos fazer muito nesses casos, a ferramenta para esses casos é a mesma para todos que é a opção de denunciar dentro do jogo e o Atendimento ao Usuário, só assim podemos diminuir a toxicidade no hotel, afinal juntos somos mais fortes.


7- Porque é tão importante observarmos e relermos a Habbo Etiqueta, como ela se relaciona com o Dia da Internet Segura?

WIL: A Habbo Etiqueta é um conjunto de regras essenciais para uma boa convivência no hotel, ela contém orientações sobre como se proteger para se divertir com segurança, o Dia da Internet Segura (SID) está alinhado com a Habbo Etiqueta, fornecendo dicas e informações sobre como se proteger na internet e informando sobre as novas armadilhas do mundo digital, dessa forma todo o conteúdo aprendido nesse dia pode e deve ser complementado no dia a dia no hotel.

8- Na sua opinião, o que devemos mais observar para a proteção de nossas informações pessoais nas redes sociais e na comunidade?

Como conciliar o fato, de mesmo sendo proibido, com o compartilhamento de redes sociais, como contas no Twitter dedicadas ao Habbo e a liberdade de publicar fotos, compartilhar números e vender artes digitais por dinheiro físico, entre outros?

WIL: O compartilhamento de qualquer informação pessoal é proibido no Habbo, monitorar a atividade de milhares de jogadores dentro do jogo é uma tarefa difícil, fora dele então nem se fala, por isso devemos observar o quanto estamos expondo da nossa vida pessoal, saber separar o real do virtual é importante para se manter seguro, pois dentro e fora dos pixels nem tudo é o que aparenta ser.

9- Como podemos colaborar para tornar o Dia da Internet Segura efetivo no nosso dia a dia dentro do Habbo e fora dele em nossas redes sociais?

WIL: Colocando em prática o que foi obtido no Dia da Internet Segura (SID), sobre como se proteger e não confiar em quem você conhece na internet, repassando o conhecimento a outras pessoas, transformando o dia a dia e convívio tanto dentro ou fora do Habbo agradável, procurando fazer o bem ao próximo.

Muito obrigado e até a próxima edição!

En la 2ª edición de BobbaWars ES/MX, tuvimos el gran honor de poder entrevistar a una nueva Staff del hotel hispanohablante, Poppuli. En esta charla hablamos de sus experiencias en habbo, sus cargos, las opiniones sobre diferentes cuestiones del juego como los casinos y, como no, hubo muchas risas y diversión.

¡Entrevistando a Poppuli! 

También entregamos una placa para todos los que estuvieron en esta entrevista. ¿No te llegó la placa? Ella está disponible en la sala del Recibidor, porque no queremos que sea una placa exclusiva, sino una placa que tengáis cuantos más usuarios mejor. ¡Asegura el tuyo ahora!

A continuación, verás la entrevista completa que realizamos a través de Habbo Hotel el 17/02/2022, a las 13h ES/06h MX. ¡Esperamos que os guste! Deja tu comentario, envía tu idea y compártela en Twitter etiquetando a @BobbaWars.

Entrevista

1- ¿Cómo es trabajar en Sulake? ¿Podría contarnos cómo es un poco de su rutina?

R: Es un trabajo súper guay, aunque mi rutina es como en cualquier trabajo. Me levanto, reviso mi correo, contesto a los correos más importante y después empiezo con las tareas.

2- ¿Desde cuándo y cómo conociste Habbo?

R: Pues ya he jugado cuando era un poco más joven. Respecto a mi nombre de usuario no pregunten, pues actualmente no existe.

3- ¿Cómo influye tu trabajo como Staff de Habbo en tu vida personal?

R: Pues cuando termino puedo desconectar totalmente del trabajo. Estoy menos estresada y tengo más tiempo libre.

4- ¿Cuáles son sus principales responsabilidades como empleado de Sulake?

R: Entre las muchas responsabilidades que tengo estoy sobre todo con las fansites y builders. Intento aprender algo nuevo todos los días. Esto es todo lo que puedo decir.

5- ¿Qué es lo que más te motiva a trabajar en Sulake?

R: A mi lo que más me motiva a trabajar es la comunidad y mis compañeros de trabajo, que son súper majos.

6- ¿Cuál es el origen de tu apodo y tu look? ¿Has jugado o juegas Habbo en otra cuenta?

R: Simplemente he escogido tanto para el Nick como para la vestimenta algo que me pareciese bonito. Respecto a si he jugado o juego Habbo, cuando era más joven si jugaba, pero actualmente esta es mi única cuenta y una vez salgo del trabajo no juego a Habbo. 

7- ¿Cuáles son las situaciones que te han marcado como empleado de Sulake/Habbo?

R: Llevo poco tiempo, pero diría que el momento que más me ha marcado hasta día de hoy ha sido cuando aprendí como hacer el símbolo del corazón en Habbo.

8- ¿Qué fue lo que más aprendiste en la vida real gracias a Habbo?

R: Yo creo que en sí lo que es una comunidad en general, la capacidad de apoyar a las personas sin saber siquiera quienes son en la vida real.

9- ¿Qué es lo que más te entristece y que pasa en esta comunidad? ¿Qué te gustaría ver mejorar?

R: A mi me gustaría que hubiese cero bullying y cero casinos en el hotel. Esto por desgracia no es posible, pero intentamos hacer todo lo que está en nuestras manos para ello.

10- Habbo, como cualquier red social, es un medio positivo para varias cosas. En tu opinión, ¿cuál es la principal importancia y el medio que Habbo puede ser para tantos jugadores?

R: Para mi lo más importante es que todos pueden ser lo que quieran en este juego, como por ejemplo crear avatares a su gusto. También diría que es bueno porque seguramente sirve para mucha gente como una forma de huir de la vida real, pues muchas veces esta es muy difícil.

11- ¿Qué opinas sobre los casinos? ¿Habría que quitar todos?

R: Yo fuera de Habbo no tengo nada en contra de los casinos, pero aquí no los quiero tener.

¡Muchas gracias y hasta la próxima edición!

Na 20ª edição do BobbaWars, entrevistamos a Professora de Multimídias Beatriz e habbo BNDOMas antes, vale destacar um pouco sobre a convidada desta edição!

Beatriz ou BNDO tem 28 anos e joga Habbo entre idas e vindas desde dezembro de 2005. Já passou por várias experiências, boas ou ruins, no hotel PT/BR, mas poucos sabem o que ela realmente faz fora do jogo. É bacharel em Jornalismo, licenciada em Artes Visuais e pós-graduada em Mídias na Educação, atualmente trabalhando como professora de Artes, de Arte e Animação, e de Multimídias, matéria que criou para o Ens. Fundamental II em parceria com a escola na qual trabalha.

Segundo ela, Multimídias é uma disciplina que busca educar o olhar dos alunos e promover discussões acerca do que faz parte de sua cultura e é relacionado às mídias da atualidade. É uma forma destes jovens enxergarem o potencial criativo destas ferramentas e as utilizar de uma forma saudável, também cientes de seus malefícios e de como evitá-los. Eles aprendem essas e outras questões através de discussões, descobertas, atividades práticas e projetos integrados com outras disciplinas. É uma matéria necessária no espaço escolar!

A seguir, você verá na integra a entrevista que realizamos através do Habbo Hotel no dia 18/12/2021, às 17h BR/20h PT. Esperamos que você goste! Deixe o seu comentário, mande a sua ideia e compartilhe no Twitter marcando @BobbaWars.

Entrevista

1- O que é Metaverso e quais são suas propostas e conceitos?

R: Dentro dos meus estudos, vejo o Metaverso como uma projeção de eventos reais em um cenário virtual, com interação social e práticas do nosso cotidiano inseridas naquele ambiente. Ele chegou como uma nova face das mídias, tendo muito mais interatividade, dinamismo e fluidez nas relações sociais. E isto tudo através de avatares, um conceito já visto nos games, mas que nesse caso,  podem se expressar muito mais, ter mais da identidade da pessoa e até dos trejeitos, no caso de experiências com realidade virtual, que deve ser o novo passo do Metaverso.

2- Como você definiria a transformação da metodologia da educação e de ensino nos últimos anos? Quais são seus pontos positivos e negativos?

R: Bom, essa questão é um pouco ampla, mas vou tentar resumir algumas coisinhas. Primeiro que tudo que é relacionado à educação SEMPRE vai mudar quando há o surgimento de novas tecnologias bastante inovadoras, desde os primeiros espaços de ensino até os modelos que conhecemos hoje em dia de escola. E isso ocorre porque o cérebro do ser humano vai evoluindo, se adaptando a novas realidades, e consegue assim absorver conhecimentos de novas formas.

Atualmente, as pessoas aprendem mais ao interligar ciências, áreas do conhecimento distintas, e as relacionar com fatos de nosso cotidiano. O aluno se tornou protagonista e o professor, um mediador importante que está ali também para somar no processo de ensino dessa criança, adolescente ou adulto. É algo que eu acredito e, como professora, coloco em prática diariamente. Aliás, a escola que trabalho também segue essa filosofia, o que é muito benéfico mesmo.

Porém, infelizmente, muitos professores, coordenadores, diretores e/ou instituições de ensino acabam não levando em consideração isso. Por exemplo, já vi muita professora ensinando por anos a mesma coisa para turmas diferentes sem mudar uma vírgula; escolas em que decorar o maior número de informações possíveis para passar no ENEM é mais importante; entre outros casos.

Muitos desses pontos negativos são motivados pelo medo do novo, do “desconhecido”. Um ator que me aprofundei bastante em meu TCC, o José Libâneo, já dizia que esse temor dos professores vem deles sentirem que perderão sua função, serão substituídos. O tal medo das máquinas pegarem seus lugares da mesma forma que ocorreu com a indústria. Nós sabemos bem que isso não vai acontecer, porém resta torcer para que esses profissionais, instituições e até mesmo órgãos públicos despertem e promovam evolução, não retrocesso.

3- Como a educação se aplica e se aplicará no Metaverso na sua opinião?

R: Vejo o Metaverso na educação como uma ferramenta que proporciona um espaço além da sala de aula, que foge das barreiras de uma série de carteiras enfileiradas. Que pode inclusive nos levar a lugares que talvez financeiramente não seja possível. Vou pegar um exemplo mais próximo da minha realidade como professora de Artes: ver uma obra que está exposta em outro país. Isso já existe em alguns sites, mas imagina se pudéssemos nos aproximar mais, ver mais detalhes sem precisar baixar uma imagem? E se pudéssemos criar artes tridimensionais virtualmente com facilidade? Já vejo alguns artistas arriscando produzir e expor em jogos como Minecraft, mas seria muito bacana ter representações mais próximas do que temos na realidade. Outra coisa: e se pudéssemos trazer convidados de outros locais, palestrantes, outros professores? Seria ótimo para congressos em faculdades, intercâmbio de projetos. Nossa, muitas possibilidades…

4- Quais serão os desafios a serem superados para que estas novas formas de ensino sejam aplicadas?

R: Existem dois grandes desafios: a comunidade escolar se abrir ao que é novo; e existir investimentos para isso. Quanto ao primeiro ponto, se existir um esforço coletivo para que isso ocorra de forma gradativa, certamente vai funcionar. E isso tendo a procura por várias formações destinadas aos membros da área pedagógica. De preferência momentos promovidos com quem possa lidar com profissionais desde os mais novos, mais habituados até os que já estão há anos no mercado e não conhecem muito as novas tecnologias.

Mas o que pesa mesmo são os investimentos. Não são todos os espaços escolares que tem uma base financeira boa, principalmente ao falar do ensino público. Se mal tem ar condicionado nas salas, imagina então um “boom” tecnológico desses? Por isso que, inclusive, eu acredito que o Brasil em um âmbito geral ainda vai precisar caminhar bastante para chegar a essa nova forma de ensinar e de aprender de forma igualitária. Infelizmente, se os governantes não se moverem, a educação particular vai passar e muito a pública nessa questão toda.

5- Afinal, o Habbo é um Metaverso? Por quê?

R: O Habbo é e não é ao mesmo tempo um Metaverso. Se formos pensar no conceito, nós realmente criamos um avatar, personalizamos da forma que gostaríamos, podemos criar nosso espaço, mas nossas expressões são um pouco limitadas aqui a escrita e a poucos comandos, o que não torna isso exatamente uma projeção da realidade. Sem falar que muitos utilizam este jogo para criar uma nova vida, e não jogar a sua para dentro de um ambiente virtual.

6- Como você enxerga a educação através de universos como o Habbo Hotel? Educar através deste jogo, é realmente possível e acessível?

R: Acho que é viável existirem espaços e eventos educativos dentro de jogos como o Habbo, o Roblox, entre outros, todavia eles são raros em comparação com tudo que é ofertado. Dando exemplos aqui do Habbo mesmo: o Infobus e outros jogos promovidos pelos Embaixadores; uma ou outra campanha que tenha telefrase; algumas palestras dadas por polícias com convidados especialistas; o próprio BobbaWars, lógico!

Mas são poucas iniciativas que mediam esse conhecimento e tornam os jogadores protagonistas disso. A maioria despeja informações e informações, ou até mesmo exigem memorização e pesquisas rasas para funcionarem. Será que alguém consegue absorver esses novos conhecimentos de formas assim? Acho difícil.

E falando ainda do Habbo, há outros dois problemas: a questão financeira, já que muito do jogo é pago; e a segurança que o jogo passa, que é o principal. Do que adianta eu querer trazer um projeto educativo aqui pra dentro se existe uma comunidade de maioria tóxica por trás que mal segue o que é discutido aqui e em outros espaços? E que ainda não foram punidos devidamente? Só os esforços dos Embaixadores e Ajudantes não são o suficiente. Isso tem de partir da própria Sulake e da empresa que a comprou. Se já distribuem por aí press kit falando sobre o Habbo poder ser um espaço que pode ser ocupado por instituições e/ou docentes, então que preparem o jogo para isso de uma forma bacana.

7- Quais os desafios e os pontos essenciais que devem ser observados para acessibilização à educação através do Metaverso para pessoas com PCD?

R: Essa pergunta é super importante. Trabalho em uma escola inclusiva tendo contato com muitas crianças e adolescentes PCD (pessoa com deficiência), principalmente relacionadas com questões cognitivas, como TEA (transtorno do espectro autista)TDAH (transtorno de déficit de atenção e hiperatividade). E vejo como, mesmo com todos os meus esforços possíveis, ainda há muita dificuldade por parte deles em se sentirem pertencentes aos espaços das mídias, de terem vontade de produzir e interagir. É exatamente porque dão pouco destaque a quem cria conteúdo voltado para elas e/ou que também é PCD. De uns tempos para cá começaram a aparecer sob os holofotes, mas são poucos ainda, convenhamos.

Então pensa: você tem suas questões, tem que lidar com elas todos os dias, e ainda tem que se deparar nas redes sociais com pessoas dentro dos padrões de beleza reinando, e muitos fazendo vídeos com PCDs para os colocar como grandes piadas e/ou insultos. Como fica o emocional de alguém perante a isso? Pois é…

Por isto, que qualquer mídia antes de se aventurar em criar seus Metaversos tem de repensar medidas de inclusão. As experiências dessas redes sociais precisam abraçar todos, todos mesmo, e não os excluir. Sendo nas ferramentas tecnológicas utilizadas, em aperfeiçoar algum recurso do aplicado e/ou site, em punir quem fazer cyberbullying com essa galera e/ou promove falas extremamente capacitistas… E isso também deve ser feito por quem produz conteúdo, afinal isso pode trazer a visibilidade a causa necessária e incentivar mais esses grandes nomes da mídia a repensar, a incluir.

8- Como você imagina a educação escolar e universitária daqui a 20 anos através do Metaverso, neste caso também do Habbo Hotel?

R: Eu imagino dois possíveis cenários no caso do Metaverso que vão impactar inclusive a educação. Primeiro cenário: se dermos esse grande passo da inclusão do Metaverso, pulando algumas etapas, pulando essa mudança gradativa que sempre realizamos ao transitar de uma tecnologia impactante para outra, e isso sem discutirmos e buscarmos avanços para os malefícios das multimídias. Nesse caso, vejo que poderemos ter grandes problemas de segurança com nossos dados, e os problemas de hoje em dia nas mídias podem se agravar ainda mais. Seria uma verdadeira bola de neve que só aumentaria e causaria um baita caos à la Black Mirror. Inclusive, vale a pena assistir quem tiver idade, tá?

Agora o segundo cenário: as mídias primeiro freando essas mudanças para discutir mais os malefícios e fazer o possível para impedi-los de prosseguir, sendo através das legislações dos países ou acordos internacionais com essas grandes empresas. Se formos seguir por esse caminho, os impactos da tal bola de neve de problemas seria bem menor e o Metaverso poderia ser aproveitado melhor dentro de suas tantas possibilidades, principalmente na educação. Poderíamos com isso focar em fazer grandes eventos benéficos aos estudantes, levar as turmas para vários cantos do mundo de forma virtual, trazer o ensino das Multimídias também para o Ensino Superior… Aí sim daria certo.

E esses cenários se assemelham muito aos que podemos encontrar no caso do futuro do Habbo. Se não há esforços desde então da Sulake, da Azerion e/ou até mesmo dos próprios jogadores, não vamos conseguir aproveitar esse espaço como uma espécie de Metaverso que pode ser utilizado na educação. Mas se existirem investimentos e dedicação para melhorar tudo aquilo que já pontuei, então poderemos ver mais espaços educativos surgindo por aqui, mesmo que não tão repletos de possibilidades por conta do dindin envolvido para criação.

Muito obrigado e até a próxima edição!

Na 19ª edição do BobbaWars, entrevistamos o habbo MiguellahMas antes, vale destacar um pouco sobre o convidado desta edição!

Miguellah está na comunidade oficial do Habbo de forma fixa a pouco menos de um ano, originalmente vem de uma comunidade pirata deste jogo. Lá, ele iniciou trabalhando na área de rádio e com o tempo passou à área de conteúdo promocional e administrativo, mas não é a sua primeira vez criando e produzindo, pois fora do universo de pixels do Habbo Hotel já vinha se infiltrado desde cedo em podcasts, canal no YouTube, comunidades de memes no Orkut, fã pages e de tudo um pouco!

A seguir, você verá na integra a entrevista que realizamos através do Habbo Hotel no dia 11/12/2021, às 17h BR/20h PT. Esperamos que você goste! Deixe o seu comentário, mande a sua ideia e compartilhe no Twitter marcando @BobbaWars.


Entrevista

1- Qual foi o despertar do seu dom artístico? Quais são suas inspirações? Em qual momento você percebeu que isto te dava prazer?

R: Não acredito que exista o dito "Dom", mas minha vontade de me inserir no meio artístico veio a partir de uma amiga que desenhava muito bem, e eu morria de vontade de desenhar como ela! Então, isto fez com que eu me jogasse de cabeça na busca disto, porém a ideia de produzir algo do 0 sempre me atraiu. Me inspiro muito na arte drag e cultura pop em geral, "quem me conhece sabe!", amo fazer coisas super exageradas!

2- Profissionalmente, você deseja, pretende, estuda ou já trabalha com a criação de artes além do que você já produz através do jogo?

R: Sim! Hoje, estudo na Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia, no curso de Licenciatura em Desenho e Plástica. Nunca consegui muitos trampos em minha área, na verdade, o primeiro contato que tive com comissões foi através do Habbo, de resto só produzia alguns trabalhos esporádicos na área de design gráfico. Algumas de minhas produções como ilustrador podem ser vistas no meu portfólio: www.artstation.com/fpereira

3- Como você definiria seu estilo? Quais são seus gostos pessoais e preferencias de criação?

R: Hum, acredito que em um tipo de cartoon. Eu amo quando recebo liberdade para criar em cima dos temas que me são propostos, sinto que tudo pode ter uma pegada cômica ou escrachada, beirando o camp, sinto que isto desenvolve uma identidade não só ao artista, mas também ao material que ele produz, além de ser divertido produzir desta maneira.

4- Desde quando você produz artes para a comunidade do Habbo e como isto começou?

R: Desde meados de 2020, exausto de minha vida de jogador de LOL, decidi me lançar em outro game, foi aí que passei a fazer parte da área de rádio em um hotel pirata de Habbo. Eu sempre quis ter meu trabalho destacado, então tentava sempre produzir conteúdos e eventos para minha programação, o que em um momento me surgiu a necessidade de artes para ilustrar estes eventos. Já que eu não tinha dinheiro para pagar alguém e nem mesmo conhecia quem produzisse este tipo de arte, eu mesmo "meti as caras" e fui aprendendo a produzir pixel art, e aos poucos fui evoluindo e tendo trabalhos em várias outras comunidades do jogo, até que me surgiu a oportunidade de migrar definitivamente e trabalhar na Promotoria Oficial da HabboNews, e hoje estamos aqui!

5- O que te motiva a jogar Habbo e qual é a sensação de ver suas artes sendo usadas por usuários e pelo próprio Habbo, dentro e fora do jogo?

R: Hoje, o que me motiva são as pessoas que me apoiam. Apesar de produzir conteúdo já a um bom tempo, esta é a primeira vez que recebo um retorno, seja em uma curtida ou um simples comentário, isto me motiva muito! Além, é claro, da forma com que fui recebido na comunidade, muita gente que eu admirava o trabalho hoje me conhecem (Beijos Motivo.ban & SOVINA :*). É MUITO FODA tudo isto, ver onde minhas produções foram parar. Surtei muito quando vi a conta oficial do Habbo PT/BR no Twitter me seguindo e postando uma arte minha!



6- Até este presente momento, quais foram as suas criações que mais te marcaram e por quê?

R: Num geral, todas as artes produzidas neste mês de novembro! Este mês, sem dúvidas, foi o mês mais marcante em toda minha estadia na comunidade do Habbo. Não é sempre que se tem +35k de impressões, né? kkkkkk. Mas, tenho um carinho especial pelas artes da campanha Habbatalha (HabboNews, 2021), pois foi a campanha que mais pude produzir artes no sentido de quantidade, qualidade e liberdade. Sem falar das artes feitas para o Dia da Consciência Negra (Habbo, 2021), foi uma honra gigantesca participar desse projeto e ver até onde ele foi!



7- Quais suas seus sonhos pessoais quando você se refere ao seu trabalho para o futuro?

R: Acredito que meu maior objetivo futuro seja poder viver da arte e abrir meu estúdio/escola para que todos possam ter acesso a arte e a produção artística. Afinal, a arte e a educação devem sempre andarem juntas, serem um direito geral e de fácil acesso a todos!

8- O que você diria para quem tem o desejo de se tornar um artista como você?

R: SE JOGA! Tem muito conteúdo educativo de qualidade por toda a internet, mas o principal é se divertir com isto. Porque transformar um hobby seu ou até a sua profissão em algo exaustante nunca é bom.

Muito obrigado e até a próxima edição!

Na 18ª edição do BobbaWars, entrevistamos os ajudantes LiseMoOn! e MasterRobson001, para saber: em tempos como estes, ainda é possível ser ajudante no Habbo Hotel? Mas antes, vale destacar um pouco sobre os convidados desta edição!

LiseMoOn! é hóspede no Habbo PT/BR desde 2009. Quando começou a jogar já ouvia de muitos usuários a famosa frase: "Antigamente era melhor" ou "O Habbo já vai falir", passaram-se 12 anos e nós ainda continuamos por aqui. Assim como o jogo, Lise passou por muitas fases e mudanças ao decorrer dos anos e hoje ela pode dizer que "não se deve julgar um livro pela capa, pois pode acabar se surpreendendo". Sempre foi uma jogadora ativa em quartos públicos e adora café, chocando um total de zero pessoas, não é mesmo?

Lise já era ajudante antes mesmo de existirem ferramentas, é uma usuária que adora conversar e compartilhar conhecimento, principalmente quando é sobre algo que pode agregar ou fazer diferença. Sempre seguiu seu coração e nunca se limitou a padrões, sem perder a essência de quando começou. Ela é famosa por ser a menina que só se veste de preto e sobre a sua imagem existem mil teorias, mas que no final só importa o que cativa e deixa de lembrança positiva por onde passa, coração de mãe e disposta a abraçar todos que de algum modo, precisam de ajuda!

MasterRobson001 é um usuário ativo no Habbo Hotel há mais de 6 anos. Um entusiasta desde jogo, que já pesquisou e foi atrás de de tudo que se refere ao passado do Habbo. Já foi membro de algumas polícias e ajuda usuários desde quando começou a jogar. Sempre que pode está participando de eventos e disposto a ajudar todos que precisem pelos corredores do hotel. Mas cuidado, ele as vezes dá choque, sabe como são os robôs! Beep, beep.

A seguir, você verá na integra a entrevista que realizamos através do Habbo Hotel no dia 04/12/2021, às 17h BR/20h PT. Esperamos que gostem! Deixe o seu comentário, mande a sua ideia e compartilhe no Twitter marcando @BobbaWars.


Entrevista

1- Afinal, o que é realmente ser um ajudante no Habbo?

LISE: Bom, é ser alguém que ajuda no que puder e a qualquer jogador, tirando dúvidas ou dando orientações, além de promover a segurança, denunciar infratores com a ferramenta que temos. É ajudar no geral, contanto que se mantenha dentro das regras e sem visar recompensa ou o fazer em troca de reconhecimento.

2- Quais são as formas de atuar como ajudante através do jogo?

LISE: Você pode andar em quartos públicos ou privados, mas preferencialmente em quartos públicos, ou até, criar a sua própria "Central de Ajuda", para atender novos e antigos jogadores. Dar uma passada na "Central de Segurança" do Habbo (quarto oficial e destacado no navegador) para ver se alguém precisa de ajuda, seja tirando dúvidas ou dando orientações. Mas cada um tem o seu modo de atuar.

DR.LSDS: Sem falar que até usuários que não se intitulem propriamente como ajudantes, podem e devem atuarem da sua forma. Através do seu jogo ou projeto, através do seu Fã Site e principalmente através do seu exemplo. Zelar pela segurança através do jogo vai muito além do que respeitar apenas a Habbo Etiqueta!



3- Sem a ferramenta de Guardião, o que é essencial para colaborar como ajudante, seja qual for a frente de atuação?

LISE: É apenas estar disposto a ajudar. Não é necessário uma ferramenta de Ajudante/Guardião para atuar como ajudante! O essencial é apenas continuar ajudando como puder. Ser um Habbo Ajudante não se limita ao seu emblema, mas sim a sua disposição e empatia. Todos em algum momento são ajudantes. Me lembro de repassar a frente coisas que sabia para a galera que via começar a jogar antes mesmo da ferramenta de Ajudante/Guardião existir e com amigos, nos reuníamos em quartinhos para falar sobre tudo isto e promover conversas saudáveis e cheias de aprendizados, bons tempos.



4- O ato de ajudar através do Habbo é limitado a tudo que se refere unicamente ao jogo?

LISE: Não acho limitado, pois qualquer pessoa pode tirar suas dúvidas seja no que for, vai de ajudante para ajudante querer responder ou limitar as dúvidas dos jogadores. Mas particularmente, eu não privo ou limito de me perguntarem algo. Obviamente, me mantenho sempre respeitando a Habbo Etiqueta e os meus princípios pessoais, mas sou da máxima de que nunca sabemos o que se passa com o outro e talvez naquele momento você seja a única pessoa que o pode ajudar, nem que seja apenas sendo um suporte de escuta ou até para compartilhar uma palavra positiva. Isto pode fazer toda uma diferença e em 12 anos de jogo, já passei por muitas situações como estas!

5- Quais são as motivações positivas e negativas por trás de ser um Habbo Ajudante?

MASTER: Sejamos sinceros, as motivações positivas são bem menores do que as negativas e por isto não existem tantos ajudantes por aí. Antigamente, haviam as ferramentas que hoje foram descontinuadas por seu mau uso e por conta dos investimentos atuais realizados no Client Unity. Na época, motivava as pessoas a ajudarem por causa da facilidade destas ferramentas e do status que elas davam, além do mau uso delas, envolvendo golpes, ameaças, roubos, etc. Mas, quem quer ajudar ajuda, quem quer ajudar não se importa com a falsa sensação de importância e sim com o resultado de ajudar na construção de uma comunidade melhor! Os pontos negativos são mais do que claros e a maior parte dos ajudantes que jogam e ajudam de bom coração, são menosprezados pela comunidade. Beep, beep.

6- Existem requisitos ou limitações para ser um Habbo Ajudante, ou qualquer usuário com boa intenção o pode ser?

MASTER: Não existe quaisquer ferramentas que limitem algum tipo de atuação e mesmo quando existia, qualquer um ainda poderia ajudar, logo, qualquer usuário pode e deve ser um ajudante. Mas, a maioria “ajuda” para ganhar reconhecimento, como no Habbo Awards, e outros para conseguirem um dia se tornarem Habbo Embaixadores. O problema é quando a pessoa consegue o seu objetivo e depois de pouco tempo já está desmotivada. Então, um bom ajudante deve ajudar pelo prazer de querer uma comunidade melhor! Beep, beep.

7- Membros de Fã Sites, projetos independentes, policias, RPGs e outros, como cada um de nós pode e deve atuar em favor da nossa segurança pessoal e da segurança de outros usuários?

MASTER: Ajudar os novatos e conscientizar é essencial para melhorar a comunidade, mas não adianta falar sobre a Habbo Etiqueta e não segui-la. Todo mundo pode ajudar a espalhar a boa conduta e o próprio hotel já faz isto através dos seus jogos e eventos, mas infelizmente a maior parte dos usuários prefere não ouvir e não seguir. Beep, beep.

8- Na sua opinião, o que o Habbo deveria fazer para melhorar as ferramentas de moderação e ajuda atuais? E o quais possibilidades de soluções poderiam serem implementadas no futuro?

MASTER: Não vejo outra solução que não seja a moderação humana. Infelizmente, a automática se provou ineficaz e podemos ver os resultados nos quartos públicos principalmente. Eu não acredito que ela será implementada e espero que pelo menos melhorem a moderação atual tornando-a cada vez mais funcional. Beep, beep.



Muito obrigado e até a próxima edição!

Na 17ª edição do BobbaWars, entrevistamos o embaixador Romario622SuET e o ajudante De4n, para entender como e por que ainda devemos denunciar infrações. Mas antes, vale destacar um pouco sobre os convidados desta edição!

Romario622SuET, mas conhecido como Roma, joga Habbo desde 2013. Fez parte de muitas polícias e corporações no jogo (RPGs), conhecendo, compartilhando e prezando sempre pela Habbo Etiqueta. Com isto, a vontade de propagar o que é certo e de ajudar as pessoas só aumentou. "Particularmente, no começo do jogo, eu tive que me virar sozinho e nunca me ofereceram uma mãozinha, então passei a adotar esta conduta: oferecer minha mão para ajudar principalmente os novos jogadores no que eu pudesse".

Roma é um usuário que gosta bastante de ouvir músicas enquanto está no hotel, tanto que sua missão sempre se refere a um título musical diferente. É um usuário que gosta de brincar e de se descontrair, afinal, ninguém é de ferro! O chamam de "tiozão" por fazer piadas horríveis, mas que ele faz questão de dizer que são boas. Sempre disposto a ajudar e a fazer o bem pelo hotel e a toda comunidade, é por este motivo que foi escolhido a dedo para se tornar um Habbo Embaixador!

Clique aqui para ler mais sobre o Programa Habbo Embaixadores.

De4n, ou simplesmente Dean, é jogador no Habbo desde 2009 e se dedica como ajudante há mais de 7 anos. Quando começou a jogar, só ficava nas "baladinhas" namorando ou em orfanatos tentando ser adotado (quem nunca?). Só 5 anos após seu primeiro contato com o Habbo, já com maior experiência, conheceu o embaixador DannFenixx, na época ainda não existiam os embaixadores e ele era apenas Habbo Guardião. DannFenixx foi o responsável por apresentar ao De4n o universo de ajudantes e guardiões, onde ficou maravilhado com a ideia de fazer parte disto e ajudar a comunidade. Desde então, ano após ano, se dedica e se coloca a disposição para ajudar a todos que necessitem de ajuda.

A seguir, você verá na integra a entrevista que realizamos através do Habbo Hotel no dia 20/11/2021, às 17h BR/21h PT. Esperamos que gostem! Deixe o seu comentário, mande a sua ideia e compartilhe no Twitter marcando @BobbaWars.



Entrevista

1- Qual é a melhor maneira de estar seguro na internet?

DE4N: A melhor maneira de manter-se seguro na internet é protegendo as suas informações pessoais. Pode parecer óbvio, mas muitos habbos pecam nesse quesito e acabam pagando caro. Por isso, proteja a sua privacidade e não confie em ninguém. Nunca, jamais, em hipótese alguma, compartilhe fotos ou vídeos com quem não conhece pois podem ser usados contra você para praticar bullying ou, até mesmo, fazer chantagem.

2- Mesmo com a moderação automatizada, porque ainda é tão importante denunciar quando necessário?

DE4N: O Habbo ainda conta com a participação dos jogadores para manter um convívio saudável e legal. Você pode e deve denunciar um usuário pelo mal comportamento ou por realizar ações que infrinjam a Habbo Etiqueta, a moderação automática irá analisar o caso, além de deixar registrado no histórico deste usuário a sua denúncia, isto se somará caso ele já tenha recebido outras denuncias. Ou seja, sempre é muito importante denunciar dentro do jogo!

DR.LSDS: É por este motivo que muitas vezes, determinado usuário diz ser banido por falar "Twitter" ou "Discord", por exemplo. Ou outras palavras que para nós não são motivos para banimentos. Mas, cada usuário possui um histórico no sistema da moderação automática, a inteligência artificial é capaz de compreender que a partir do seu histórico no jogo, uma determinada palavra pode ser apenas o estopim, o motivo que faltava para uma penalidade mais grave como esta.



Porém, caso você discorde de sua penalidade (mute ou banimento), você pode enviar um ticket ao Habbo solicitando uma nova analise, desta vez, humanizada, de todo seu histórico no jogo. Leia sobre como a inteligência artificial atua no Habbo, na matéria publicada no Fã Site não oficial iBobbaclicando aqui.



3- Ao presenciar uma infração, quais devem ser as nossas atitudes diante do infrator?

DE4N: Ignore e denuncie. Não adianta bater boca ou ir dormir com o coração cheio de ódio. Sua saúde mental é mais importante do que tudo isso.


4- Quais são as formas existentes para realizar uma denuncia, e como saber qual é a mais adequada para cada situação?

ROMA: Na realidade, existem 3 formas de realizar uma denúncia, e pode até serem feitas em conjunto. A primeira: denunciar pelo jogo, pois ficará registrada e realmente tem resultado. A segunda: enviar um ticket com as devidas provas do ocorrido (prints, por exemplo), após ter denunciado in-game (dentro do jogo). A terceira: se achar mais confortável, é enviar o caso para um embaixador com todas as capturas de tela dos ocorridos e as informações precisas, mas pra isto ter sucesso, precisa ser realizada a primeira etapa, que é denunciar o infrator/infratores dentro do jogo caso presencie. Todas são adequadas e você estará fazendo a sua parte que é denunciar, mas em cada uma das 3 formas, você pode possuir uma eficácia e procedência diferente no final.


5- Quando devemos denunciar um quarto ou um usuário no hotel?

ROMA: Toda situação onde se encontre uma quebra de regra dentro do Hotel, deve ser sempre denunciada! Seja usuário infringindo tais regras ou um quarto inapropriado cujo o conteúdo seja contra o Habbo Etiqueta.


6- O que devemos escrever quando realizamos uma denuncia através do jogo?

ROMA: Sempre é bom resumir o acontecimento. Pois, não é somente a Auto Moderação que lerá o que for escrito, mesmo que o algoritmo identifique palavras-chave. Mas toda denuncia in-game feita ficará salva e registrada no sistema, podendo ser aberta pela equipe Staff para a avaliação do caso, e assim, leriam na integra a sua denúncia. Então, descreva o caso resumidamente e com clareza, nem que seja preciso utilizar até o último caractere. Por isto, se necessário envie um ticket.


7- Em quais situações devemos enviar um ticket (uma solicitação)?

ROMA: Em casos graves como bullying e em qualquer tipo de preconceito, além de outras denúncias do gênero. Aconselho que, diante de uma situação grave, seja realizada na mesma hora uma denuncia dentro do jogo e o envio do ticket no mesmo dia, com todas as informações do caso. Mas, é opção do usuário enviar ticket e se ele considerar o que aconteceu realmente como grave. Para enviar um ticket, clique aqui.

8- As vezes não sabemos, mas uma pessoa que é intimidade diante de nós, por exemplo, durante um jogo, pode precisar de um apoio ou de uma conversa. Como devemos auxiliar este usuário, principalmente ser ele for de pouca idade e novato?

DE4N: Ensine-o a se proteger e denunciar, converse com ele como amigo e esteja sempre disposto a ajudar e dar um pouco de atenção a quem você não conhece. O enfrentamento direto com o agressor não é recomendado, pois isso pode agravar ainda mais os ataques, e a vítima pode ser a mais atingida.



9- Em que momento devemos procurar as autoridades competentes para resolver determinado problema através do jogo?

ROMA: Dependeria do problema. Existem problemas que realmente passam dos limites do Habbo, e que se teria que procurar uma autoridade legal para o resolver. Casos deste tipo, geralmente envolvem vitimas de perseguição e assédio, que sofrem psicologicamente e socialmente com isto.

Também seria uma opção do usuário contatar somente a Equipe Staff via Atendimento ao Usuário. Mas, a polícia pode entrar em contato com o Habbo para a quebra de sigilo e investigar o caso e chegar até os envolvidos. Caso seja uma vitima ou conheça alguém sofrendo isto, peço que por favor, entre em contato o mais rápido possível com os embaixadores para levarmos isso diretamente a Equipe Staff e oferecer a ajuda necessária!


10- Além da ferramenta de denunciar, o que mais podemos fazer para garantir a nossa segurança e a segurança de outros usuários?

DE4N: O mais importante de tudo é manter suas informações pessoais seguras e respeitar a Habbo Etiqueta. Quando você faz isso, garante a sua segurança e a dos outros usuários. Além da opção de denunciar, você também pode e deve "calar" outro usuário, isto é uma forma de nós mesmos nos ajudarmos a evitarmos mais discussões muitas vezes desnecessárias e proteger a nossa saúde mental. 

DR.LSDS: Se o você for o dono do quarto onde esta situação esta acontecendo, mutar ou banir, também é o recomendado para proteger você e aqueles que se encontram no quarto. Afinal, não sabemos muitas vezes quantos anos, quais traumas e quem esta do outro lado da dela. Proteger a si também é sobre proteger os outros.



Muito obrigado e até a próxima edição!

Fansite no Oficial